II crônicas 7.14

"Se o meu povo que se chama pelo meu nome se humilhar, e orar, e me buscar e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, perdoarei os seus pecados e sararei a sua terra" (II crônicas 7.14)

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Fim de ano. E agora?

A paz galerinha!!


A cada estação podemo-nos sentir caminhar um pouco mais. A partir das nossas escolhas nos direcionamos para lugares diversos, onde o desconhecido impera e aquela sensação de novo se instaura. Ao término de cada ano temos a mesma sensação de término, novo, recomeço e esperança. Sei que para alguns Dezembro é bem corrido, e para outros é sinônimo de alívio, todavia uma certeza é comum a todos: o inevitável encerramento de mais um ano está chegando.



Quais expectativas construir? Quais anseios alcançar? São tantas dúvidas que nos cercam nesse período que às vezes não dá nem para respirar. Enquanto cristãos o que devemos fazer diante de tantas indagações? Acredito que nada é mais constante e cíclico do que a mudança, pois é ela que nos caracteriza como seres humanos, pois só Deus é imutável e é a partir dessa noção que devemos projetar o nosso futuro, sobre a ótica de que sei que todos os dias mudarei, mas a minha decisão é mudar para melhor, mudar para me parecer com Cristo, mudar para ser sal da Terra e luz do Mundo, ser a diferença que a humanidade precisa. As pessoas desejam ver Cristo em nós, e quando essa se torna a meta da nossa vida, todas as demais coisas se tornam futilidades. Por isso, em 2015 escolha se parecer mais com Jesus e sele esse compromisso de lutar por um mundo onde a prioridade seja amar.



Eu profetizo sobre a sua vida uma grande colheita no ano vindouro e que você possa se encontrar enquanto pessoa, descaracterizando as marcas do passado e restabelecendo a nova criatura. Faça a sua parte e creia que as promessas do Senhor se concretizarão no tempo Kairós. Não espere pela “felicidade” para ser feliz.



No amor de Cristo,
 Rafly Walone