II crônicas 7.14

"Se o meu povo que se chama pelo meu nome se humilhar, e orar, e me buscar e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, perdoarei os seus pecados e sararei a sua terra" (II crônicas 7.14)

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Será que vale a pena?

A paz galerinha!



Recentemente conversando com um amigo, este me confessou que não acreditava mais no propósito de Deus pra sua vida, pois já beira os 30 anos e todos os seus amigos estão casados, com um apartamento, trocando o carro anualmente e boa parte já passou num concurso público e tem uma vida feliz e próspera! Ele tem apenas um carro e uma namorada, mora com a mãe e isso o constrange. É extremamente iterado com o reino, mas tem passado por uma crise de identidade que o faz pensar qual o real motivo de esperar em Deus, pois tem medo de dar um passo que o faça ficar aprisionado à uma vida que nunca deveria ser sua e ser infeliz até o término dos seus dias! Que desespero. A sociedade o cobra maturidade e que ocupe seu papel como homem, tendo em vista que já é formado e estruturado profissionalmente, o passo a seguir deve ser casamento, em seguida filhos e por aí vai...
Ele escolheu ter chegado até aqui com toda essa carga emocional? A culpa é de quem?
A crise dos 20 e poucos anos vem pra todos, porém, quando se é um cristão vocacionado as coisas são bem mais complicadas, pois a sensação que dá é que as coisas não dependem só de nós, pois se tem o ardor por missões alguém tem que bancar a estadia no campo missionário, se o chamado é pra ser pastor itinerante alguém também tem que bancar financeiramente, e espiritualmente tem que estar vinculado à alguma denominação que o consagre, se o chamado é nas artes alguém também tem que custear a carreira e propiciar contratos que o faça ser "exaltado" por Deus. São tantos pensamentos esperando do outro algum milagre que chega a dar um desengano, mas refletindo bem, o que é que temos feito com as promessas lançadas sobre a nossa vida?
Geralmente aguardamos ansiosos pela concretização dos "sonhos de Deus" (aspeei pois geralmente damos esse nome para a nossa vontade maquiada com a nossa pseudoespiritualidade), e esperamos que alguém ou algo venha até nós para nos dar o presente divino, todavia somos surpreendidos com um profundo e destruidor silêncio.
As coisas não acontecem no nosso prazo não por falta de fé ou de coragem para executar, mas pelo fato simples de não termos estrutura para fazer com que a promessa de Deus se torne real e perdurável, pois temos o mau costume de não sermos gratos por aquilo que alcançamos de forma fácil. E Deus sabe de tudo isso. Por isso nada acontece da forma que planejamos, pois não sabemos de absolutamente nada da vida! Lembra daquela colocação filosófica "Só sei que nada sei"? Pois é, não tá na bíblia, mas é uma das melhores coisas pra dizermos pra Deus. 
Reconhecer a nossa fragilidade é o primeiro passo rumo ao quebrantamento, e lembra que é esse aspecto que Deus não despreza? Huuuum... Descobrimos o ouro! Uma atitude quebrantada move o coração de Deus e é ela que nos moldará na grande olaria da vida. Não precisamos atrair a atenção de poderosos ou de alguém que cogitamos que pode nos dar algo em troca para beneficiar o nosso alvo de projeção pessoal que verbalizamos sendo ministerial (pra não ficar tão feio ante as pessoas).
Enfim, sempre vem a pergunta: será que vale a pena esperar pelo kairós? A impressão que dá é que Deus precisa entender que temos pressa, e que a vida é muito curta para ficarmos esperando pelo centro da Sua vontade, afinal, até os ateus conseguem chegar no topo e eu que sempre fui temente à Deus não consigo fazer meu nome nem na minha igreja local? Um absurdo!
Motivações erradas geram pessoas frustradas. Deus não nos criou para sermos popstars mas, nos fez a sua imagem e semelhança para que tivéssemos intimidade, ou seja, vínculo afetivo com Ele. A fama corrompe, o dinheiro macula, o prestigio nos deixa altivos, por isso Deus não quer nada do que queremos, pois seu propósito para nós é de sermos seus amigos e louvarmos à Ele com o que temos, glorificá-lo com a nossa carreira, exaltá-lo com a nossa formação, entronizá-lo com a nossa influência, e magnificá-lo com a nossa conquista! Se a nossa motivação não for agradar à Deus nada vai dar certo, por isso muita gente se desespera porque sua vida o dá a sensação de estancamento, pois o seu desejo de estar por cima da carne seca é maior do que honrar a Deus, e Yaweh não dá a glória dEle pra ninguém, isso é um fato.
Se quiser ser realizado na sua vida ministerial/profissional/pessoal, a partir de hoje honre a Deus no pouco, pois a bíblia nos garante que sobre o muito nos colocará, pois geraremos frutos e faremos multiplicar os dons e talentos que Ele nos deu. Não perca a esperança! Lembre-se: tudo que você passou na sua vida até hoje servirá de respaldo para o cumprimento do seu chamado. Deus não chama preguiçosos, mas pessoas que não tem medo de viver. E só pra responder ao título dessa postagem: SIM, vale a pena OBEDECER.


No amor de Cristo...
Rafly Walone

0 comentários:

Postar um comentário